Gelados de Mirtilo e Iogurte



Cheira a Verão finalmente. Será que veio de vez? Os pés descalços e as blusinhas de alças parece que já lhe apanharam o gosto. E eu agarro o sol nem que seja à hora de almoço e ao fim do dia, cheia de vontade que desta vez tenha vindo para ficar. 



Nestes dias de calor sabe tão bem comer um gelado! Quer seja ao pequeno almoço, ou lanche ou sempre que os temos à mão. Bem fresquinho.
Adoro estes gelados de pauzinho, a coisa mais fácil de fazer, fruta e iogurte e refrescam-se as vontades.
Os mirtilos do verão são sempre um bom motivo para fazer algo na cozinha, mais não seja um smoothie ou comer um a um. Mas nestes geladinhos não há como resistir a este fruto. Só mais um! Pelo verão!





Gelados de Mirtilo e Iogurte
(adaptado de Flourishing Foodie)

2 chávenas de mirtilos frescos
1/4 chávena de açúcar amarelo
sumo de 1/2 limão
625 ml de iogurte natural


Preparação

Colocar os mirtilos, açúcar e sumo de limão num tacho e levar a lume brando, cozinhando e mexendo de vez em quando para prevenir os mirtilos de se colarem ao fundo do tacho.
Deixar cozinhar até os mirtilos libertarem os seus sucos e amolecerem, derrentendo e esmagando com a ajuda da colher de pau (quase até formar um género de compota ainda líquida).
Retirar do lume e passar a mistura num coador, deixando depois arrefecer totalmente.
Numa taça colocar o iogurte natural e depois espalhar o líquido dos mirtilos fazendo um efeito swirl com a ajuda de uma faca. Se preferir pode misturar completamente no iogurte, obtendo uma cor uniforme.
Colocar a mistura com cuidado nas forminhas de gelados, colocar os pauzinhos, fechar e levar ao congelador até solidificar.
Na altura de servir, mergulhar as forminhas por alguns segundos em água, para ajuda a remover mais facilmente os gelados.

Nota: é um gelado pouco doce, para mim na medida certa, mas para quem tem apetites mais gulosos, talvez seja melhor adoçar o iogurte natural com agave a gosto!

Bom Apetite!






Muffins de Milho, Queijo e Cebolinhas



Onde está o Verão por estes dias? Anda a brincar às escondidas connosco. Uns dias está sol e quente, noutros vem um vento frio e o céu cinzento, fazendo pensar que estamos em qualquer outra estação.
Há dias de calor que são insuportáveis, abafados, em que ansiamos por uma brisa fresca ou um mergulho no mar, mas convenhamos que andar de meias, calças e casaco em Julho, não é de todo normal. 

Aguardo esses dias de chinelo no dedo, calções e vestidos de praia, dias descontraídos e que me lembram mesmo o verão. Mais não seja à mesa é sempre verão, com as curgetes, os primeiros tomates da horta, os mirtilos e os pêssegos, os gelados e os batidos de fruta, os grelhados lá fora, as sardinhas na brasa, as saladas coloridas. Comer lá fora, fazer piqueniques, ando cheia de vontade!
Daí me ter lembrado duns muffins salgados, o petisco perfeito para refeições ao ar livre e lanches na praia.
Adoro estes bolinhos pequeninos e que se comem tão bem, até porque com dias assim, sabe bem ligar o forno. E imaginar que estamos num piquenique cheio de petiscos e sol.





Muffins de Milho, Queijo e Cebolinhas

125 gr de farinha de trigo
125 gr de farinha de milho
1 colher (chá) de fermento
1 colher (chá) de sal de aipo
50 gr de queijo parmesão ralado (+ para polvilhar)
2 ovos
50 ml de azeite
200 ml leite
1 raminho de cebolinhas (spring onions)


Preparação

Pré-aquecer o forno a 180ºC. Forrar um tabuleiro de muffins com forminhas de papel ou untar com manteiga.
Numa taça misturar as farinhas, fermento, sal de aipo e queijo ralado.
Noutra taça misturar os ovos, azeite e leite e bater muito bem.
Adicionar os líquidos aos sólidos e misturar bem a massa, mas sem exagerar, só até ficar bem homogénea.
Por fim adicionar as cebolinhas cortadas finamente e envolver delicadamente na massa.
Colocar colheradas da massa nas forminhas até 3/4 de altura, polvilhar com queijo ralado a gosto e levar ao forno até cozer (teste do palito).

Nota: o sal de aipo pode ser substituido por sal normal. O queijo parmesão pode ser substituido por queijo da ilha. E as cebolinhas podem ser substituidas por recheios ao vosso gosto, por exemplo, tomate seco, feta em quadradinhos e tomilho ou outra erva aromática.

Bom Apetite!






Panna Cotta de Morango



Não sei se já vos contei, mas há uns anos atrás, quando ainda nem sonhava em ter um blog de culinária, muitas vezes pesquisava receitas em revistas ou livros, algumas já na net, mas assim que via certos ingredientes na preparação delas, acabava por desistir de as fazer. Passava à frente simplesmente.
Por exemplo, se via ingredientes que não conhecia, mesmo que me parecesse apelativa, acabava por nem ligar, desistia logo da receita. Hoje em dia não sou nada assim, gosto mesmo é desses desafios.
Procurar novos ingredientes, comprar algo que nunca usei em culinária, preparar receitas que antes nunca pensaria em fazer, partir sempre à descoberta na cozinha, tornou-se uma coisa que adoro.



 Outras vezes nem eram os ingredientes que não conhecia, ou mais difíceis de encontrar, mas sim as quantidades de gordura ou o facto de serem fritas. Por exemplo, se vejo uma receita de um bolo com mais de 200gr de manteiga é certo que me arrepio e acabo por a reduzir sempre. Outras vezes são as coisas que por norma não tenho nem uso em casa, como as natas!
Nunca tenho natas em casa é um facto, não uso. Então, como fazer uma panna cotta quando me apetece?
Desenrasco-me com o que tenho em casa e uso outros ingredientes, como foi o caso desta receita do Bill Granger que mal que a vi me apeteceu comer mas tive preguiça de ir comprar natas (ok às vezes também sou preguiçosa nalgumas coisas).


 
Há coisas que nunca mudam, é certo. O não ter nunca natas em casa, o arrepio com receitas cheias de manteiga (mas não resisto a ver a Nigella a fazer as suas maravilhas com a manteiguinha hehe), o fazer fritos só quando o rei faz anos.
Outras mudam e ainda bem. Nestes últimos anos conheci novos ingredientes, provei tantas coisas novas. Arrisquei muito mais na cozinha. E mesmo sabendo que o meu forno não me permite fazer pavlovas lindas e macarons, continuo a tentar, sabendo que as fornadas acabam por sair um desastre.
O mesmo me acontece com a tecnologia. Digo sempre que não, que não percebo nada, que não vou mudar, e se antes por exemplo pouco ligava ao telemóvel, a ponto de não ouvir chamadas e nem saber dele, agora já não passo sem o meu telefone "mais moderno". E o novo vício do instagram.
É isso mesmo, criei uma conta no instagram que podem seguir aqui. E já não passo sem este vício. Isso e as minhas panna cottas sem natas. Ficam mesmo boas, com morangos, fresquinhas, leves e cor-de-rosa.




Panna Cotta de Morango
(receita adaptada do livro "Easy" de Bill Granger)

400 gr de morangos biológicos
250 gr de iogurte natural
185 ml de leite
55 gr de açúcar
4-5 folhas de gelatina (usei 5 mais pequenas)
morangos q.b. para servir


Preparação

Num liquidificador colocar os morangos lavados e cortados em pedaços, adicionar o iogurte e triturar até ficar homogéneo. Passar esta mistura por um coador e reservar.
Hidratar as folhas de gelatina numa taça cheia de água, durante 10 minutos.
Aquecer ligeiramente o leite com o açúcar de forma a dissolver o açúcar.
Entretanto escorrer as folhas de gelatina, e aquecer em lume brando num tacho pequeno, até se dissolverem e ficarem líquidas.
Juntar a gelatina líquida e em fio ao leite aquecido mexendo sempre e rapidamente, para misturar bem.
Adicionar esta mistura à dos morangos e mexer bem.
Colocar em tacinhas ou copinhos de servir, e levar ao frio durante umas horas ou durante a noite.
Servir bem fresco, com morangos em pedacinhos por cima.

Bom Apetite!