Aveia no Forno com Cogumelos e Espargos



Não estamos em época de ligar o forno, bem sei. Calor abrasador nestes últimos dias, que pede refrescos, saladas, limonadas e muitos gelados fresquinhos à mesa. Mas não resisti a partilhar esta receita com os leitores.
Fiz esta aveia no forno há alguns dias atrás, quando as noites ainda pediam alguma comida de conforto. Adoro prepará-la na minha skillet da Staub, onde a posso levar directamente ao forno. 
É adaptada da receita que levei ao open day da nova loja Trinca, e da qual recebi imensos comentários a pedir para a partilhar, porque acharam a ideia interessante.

Aveia no forno, com cogumelos e espargos, um toque de coentros e parmesão e flores de cebolinho a animar um prato de poucas cores. Super simples, mas muito bom. Pelo menos, cá em casa sempre que o preparo, todos comem com gosto e nunca sobra nada. A ideia era fazer um risotto com a aveia sem glúten da Trinca, algo parecido com umas papas de aveia salgadas e uma taça de conforto que se prepara num instante. E de facto ficou delicioso. Mas ainda resolvi colocar a mistura no forno, e acho que a tornei mais deliciosa. Mas fiquem à vontade para usar outros ingredientes, mais caldo caso prefiram mais cremoso, e optar por nem usar o forno. Espero que gostem tanto como nós.








Aveia no Forno com Cogumelos e Espargos

2 dentes de alho picados
1 cebola pequena picada
azeite q.b.
3 chávenas de cogumelos frescos
1 molho de espargos
200 gr de flocos de aveia sem glúten
sal q.b.
500 ml de caldo de legumes caseiro (ou água)
parmesão ralado q.b.
coentros frescos picados q.b.
flores de cebolinho


Preparação

Numa frigideira grande colocar um fio de azeite, os alhos picados e a cebola picada, deixando alourar lentamente. Quando a cebola ficar translúcida e mole, juntar os cogumelos fatiados e os espargos também fatiados em pedaços grandes, deixando cozinhar e mexendo ocasionalmente até ficarem ligeiramente tenros. 
Em seguida juntar a aveia em flocos, um pouco de sal, e o caldo de legumes ou a água e mexer sempre até o líquido ser quase todo absorvido.
Fora do lume juntar parmesão ralado a gosto e coentros picados a gosto, envolver bem para o queijo derreter, provar e caso necessário ajustar o tempero, ou com mais sal ou mais parmesão.
Espalhar a mistura de forma uniforme na frigideira e levar ao forno pré-aquecido a 220ºC por uns 20 minutos ou até a parte de cima dourar, mas por dentro ainda ficar cremoso.
Servir com coentros picados, lascas de parmesão e flores de cebolinho.

Bom Apetite!





Bundt de Chocolate



Para a minha avó. Uma das pessoas que mais amo no mundo. São 90 primaveras que já viveu, e muitas delas ao meu lado. Um coração cheio de amor de avó, daquele amor que sabe tão bem, que é como um aconchego e um abraço, que é doce e cheio, puro e meigo. Parabéns avó!

As minhas memórias mais doces encontram sempre a minha avó (os meus avós maternos). Desde pequenina, nos tempos em que ainda não andava na escola, e passava os dias na quinta com ela. Lembro-me de uma horta grande, do cheiro a cavalos, das uvas que se tornavam passas numa mesa de madeira ao sol, das rodelas de beringela que ela cortava, dum fogão pequenino na cozinha e uma televisão a preto e branco. Lembro-me dos seus óculos verdes, que lhe enchiam a cara, e do colar de pérolas para os dias de festa. São memórias que me dizem ser estranho lembrar, porque era mesmo muito pequenina.

Os tesouros que merecem para sempre ser guardados, são as memórias e os afectos dos tempos juntas, do crescer, do aprender, do viver. As coisas simples da vida, e o trabalho na horta. Aprendi tanto com ela. E continuo a aprender. Ela não sabe ler nem escrever, mas sabe da terra, das estações e do que se semeia e colhe, e se come à mesa. Do que alimenta a família. Como a panela de sopa feita à fogueira. O pão e broa que antes amassava e cozia. Os bolinhos e os filhoses. O arroz doce. O pão-de-ló. Os biscoitos secos. E o arroz no forno, que o meu avô adorava.

Pelo que me contam eu não gostava nada de comer em pequena (como é que é possível pergunta o caro leitor, e eu também me questiono) e foi sempre ela que teve paciência para me alimentar enquanto eu fazia birras, até que aos poucos comecei a gostar de comer, ao ponto de adorar.
É uma avó gulosa, que adora bolos e bolinhos como eu. E sempre foi uma mulher simples, com gostos nada extravagantes. Daí o bolo de anos ser também bem simples, sem enfeites. Mas carregado de chocolate e amor. Sinto-me mesmo muito grata por a ter a meu lado, por poder partilhar fatias de bolo e tanto da vida com ela.






Bundt de Chocolate

300 gr de açúcar amarelo
200 gr de manteiga derretida e fria
4 ovos caseiros
1 chávena de buttermilk
2/3 chávena de água a ferver
50 gr de cacau em pó
350 gr de farinha com fermento
1 colher (chá) de fermento
1 colher (chá) de bicarbonato
pitada de sal

Cobertura:
100 gr de chocolate semiamargo
6 colheres (sopa) de leite


Preparação

Pré-aquecer o forno a 180ºC e untar uma forma bundt com manteiga e polvilhar com farinha. Reservar.
Preparar o buttermilk juntando 1 colher de sopa de sumo de limão a uma chávena de leite, misturar e deixar a repousar 10 minutos antes de usar.
Numa taça colocar os ovos e o açúcar e bater com a batedeira eléctrica por 5 minutos até ficar uma mistura volumosa e cremosa. Adicionar a manteiga e bater novamente.
Juntar metade do buttermilk à massa e mexer bem, e aos poucos e ir juntando a farinha com fermento, bicarbonato e sal e o restante buttermilk e bater bem a massa. Por fim misturar o cacau em pó na água a ferver e adicionar à massa, mexendo até ficar uniforme.
Colocar a massa na forma preparada e levar ao forno a 180ºC até cozer (teste do palito).
Desenformar e colocar num prato de servir.
Para a cobertura, derreter o chocolate em pedaços com o leite, em banho-maria, mexendo até ficar uma mistura brilhante. Regar o bolo com a cobertura só mesmo na altura de servir.
Se desejar pode acompanhar as fatias de bolo com natas batidas e morangos, e regar com mais molho de chocolate da cobertura.

Bom Apetite!





Quinoa e Kale com Granola Salgada


Este ano provei pela primeira vez a couve kale. A couve da moda que está cheia de benefícios. É raro encontrar legumes biológicos menos comuns à venda, aqui na zona, mas tenho a sorte de receber um cabaz biológico em casa com grande variedade de legumes, e foi nele que veio a kale! No cabaz da Dona Rosa para além da kale veio uma vez cavolo nero, a kale toscana. Ambas deliciosas.
É um prazer comer kale nas sopas, nos estufados ricos de legumes, em chips no forno (é viciante acreditem) e em saladas.

Na hora de escolher refeições para os dias da semana dou preferência a pratos simples, saudáveis, cheios de cor e variedade. Há sempre sopa que comemos todos os dias, saladas, algumas vezes os ovos caseiros fazem milagres, e vamos variando entre pratos de peixe ou carne branca sempre com verdes a acompanhar, e cada vez mais pratos vegetarianos. É um prazer variar e preparar refeições que apesar de simples, nos sabem tão bem. E sem carne.
Como esta salada morna, com quinoa, cogumelos e kale. E com outro grande vício, a granola salgada, que fica tão boa salpicada em saladas e sopas, adoro!

Esta receita vem de um livro que gosto mesmo muito, o Bowls Of Goodness, super inspirador e lindo, com receitas vegetarianas que apetecem mesmo fazer e comer. Está no capítulo das manhãs e pequenos-almoços mas eu prefiro servir como um almoço. Por cá estou rendida à kale e à granola salgada. E é um prazer comer refeições diferentes, mesmo que sejam bem simples. A simplicidade realça os sabores, valoriza cada ingrediente usado. É um prazer de comer.










Salada de Quinoa e Kale com Granola Salgada
(adaptada do livro "Bowls of Goodness" de Nina Olsson) - serve 4

150 gr de quinoa branca
150 gr de couve kale 
azeite q.b.
sal q.b.
250 gr de cogumelos frescos variados
2 dentes de alho picados
3-4 cebolinhas de rama

Granola Salgada:
azeite q.b.
100 gr de flocos de aveia
50 gr de sementes de abóbora
50 gr de sementes de sésamo e girassol
50 gr de amêndoas
50 gr de amendoins
1 colher (sopa) rasa de tomilho e oregãos secos
pitada de piripiri moído
sal q.b.

Para servir:
tomate cherry
requeijão


Preparação

Para preparar a granola salgada, colocar um fio de azeite numa sertã ou frigideira e deixar aquecer. Juntar a aveia, sementes, amêndoa e amendoins e saltear por uns 5 minutos, até fragrante. Adicionar as ervas, o piripiri e sal, envolver e retirar do lume.
Lavar bem a quinoa e cozer. Lavar bem a kale, escolher as folhas e rasgar em pedaços.
Aquecer um fio de azeite numa sertã grande e juntar o alho picado e os cogumelos inteiros ou fatiados (conforme o tamanho). Deixar cozinhar por uns 5 minutos, mexendo com alguma frequência. Em seguida juntar as cebolinhas de rama fatiadas finamente e a couve kale, temperar com sal e deixar cozinhar mais uns minutos até a couve quebrar um pouco. 
Misturar a quinoa cozida com a mistura de kale e cogumelos e servir em taças. Salpicar com a granola salgada e servir com tomate cherry cortado e um pouco de requeijão.

Bom Apetite!