Creme de Chia e Mirtilos


Manhãs de Verão. Sempre inspiradoras. Cheias de sol, grandes e luminosas. Com a fruta da época que abunda por toda a casa. Na fruteira, nas cestas, no frigorífico, nas árvores do pomar.
Manhãs que têm de começar com fruta fresca. Para refrescar e pintar os dias.
Os pequenos-almoços ganham mais vida, mais cor. Há mais por onde escolher, por onde variar. 
Os smoothies frescos, as papas de cereais, o iogurte com granola, os muffins, as compotas, tudo sabe melhor com fruta da estação. E eu adoro esta altura do ano que tanta coisa boa nos dá.

Se há uns anos as minhas manhãs na cozinha eram demasiado monótonas, e mesmo de Inverno essa tendência continua um pouco (com torradinhas e cevada, ou papas de aveia e canela), hoje em dia não há escape às boas ideias que sabem ainda melhor.
Até gelados de fruta se comem, pela manhã. Basta ter bananas congeladas e é uma festa juntar-lhes frutos vermelhos, e tantas outras coisas boas. Os cremes e mousses de chia foram uma surpresa boa nestes últimos dois anos, e volta e meia sai um copinho para ajudar a saborear o dia de forma mais saudável, mas cheia de sabor. 
Com mirtilos frescos nacionais que adoro, e me foram oferecidos, só podiam sair estes copinhos para começar o dia cheia de energia. Maravilha.





Creme de Chia e Mirtilos

(para 2 px)
1 chávena de leite vegetal
3 colheres (sopa) de sementes de chia
125 gr de mirtilos
1 colher (sopa) de mel
mirtilos frescos q.b.
flocos de coco q.b.
mel ou agave q.b.


Preparação

Num tachinho colocar os mirtilos e a colher de sopa de mel e levar ao lume até os frutos começarem a amolecer e libertar os sucos (uns 5 minutos). Reservar no frio.
Numa taça misturar o leite com a chia e deixar entre 1-2h a repousar no frio para gelificar (pode ficar durante a noite).
Colocar a mistura da chia e dos mirtilos num liquidificador e bater muito bem até obter um creme.
Verificar a doçura e se necessário ajustar, adicionando mel ou agave a gosto.
Servir bem fresco, com mirtilos e coco.
Nota: poderá saltar o passo de derreter os mirtilos ao lume, adicionando os frutos inteiros ao creme de chia no liquidificador, mas obterá uma cor menos roxa. E podem usar mirtilos congelados.

Bom Apetite!



Floresta Negra para celebrar


Na semana passada o Ananás e Hortelã celebrou quatro anos. Estava eu a pensar que ainda eram só três. Bem, os números não contam. Contam sim as receitas que gosto tanto de aqui partilhar.
É daquelas coisas que me dá imenso prazer em fazer. Um escape à rotina, ao trabalho. Cozinhar aquilo que me faz sentir bem. Preencher os espaços vazios com momentos felizes à mesa. Planear receitas para o fim-de-semana, fotografá-las, escrever histórias sobre elas. Partilhar essas receitas com quem mais gosto, família e amigos, e adoçar-lhes a boca. Com afectos e com fatias de bolo.

Tinha de ser um bolo para celebrar mais um ano. Gosto muito de fazer bolos, assim, rústicos, toscos e imperfeitos. Mas deliciosos. As camadas vão crescendo, e o apetite por aprender mais também. 
É tão bom saber que desse lado alguém me lê, alguém faz as receitas e partilha comigo essa experiência. É disso que o blog é feito, da partilha de receitas, de memórias, de sentimentos, de mim.
E é tão bom celebrar à volta de uma mesa com um bolo. Entre amigos. Escolhi um Floresta Negra, pelo chocolate que adoro e por ser a época das cerejas. Vive-se por cá ao ritmo das estações e das coisas boas que merecem ser partilhadas. Obrigada por estarem aí! Este bolo é para vocês.






Floresta Negra
(adaptado do Call me Cupcake)

Bolo:
1 e 1/4 chávena de farinha
1/3 chávena de cacau em pó Pantagruel
1 colher (chá) de fermento
1 colher (chá) de bicarbonato 
1 chávena de açúcar
1 ovo grande
2/3 chávena de iogurte natural
50 gr de manteiga derretida
1/3 chávena de água quente

Cerejas em Calda:
250 gr de cerejas
1 colher (sopa) de sumo de limão
1/4 chávena de vinho do Porto
1/4 chávena de açúcar

Recheio:
150 ml natas frescas
1 colher (sopa) de açúcar

Cobertura de Chocolate:
50 gr de chocolate negro 70% Pantagruel
1/4 chávena de natas
1 colher (sopa) de manteiga

Decoração:
cerejas q.b.
raspas de chocolate q.b.


Preparação

Para o bolo: pré-aquecer o forno a 180ºC. Untar e forrar o fundo de 3 formas com 15cm de diâmetro, com papel vegetal. Derreter a manteiga e deixar arrefecer. Colocar numa taça a farinha, cacau, fermento e bicarbonato e misturar bem, adicionando depois os restantes ingredientes, açúcar, ovo, iogurte, manteiga e água. Mexer muito bem até ficar uma massa homogénea.
Dividir a massa pelas formas preparadas e levar ao forno durante uns 20-25 minutos a 180ºC, até cozerem (teste do palito). Deixar arrefecer 10 minutos antes de desenformar e colocar numa rede. Usar só depois de completamente arrefecidos.

Para as cerejas em calda: descaroçar as cerejas e cortar em metades. Colocar num tacho com os restantes ingredientes e levar ao lume, deixando ferver em lume brando por uns 10-15 minutos, mexendo de vez em quando, até as cerejas amolecerem ligeiramente. Passar a mistura num coador, com uma taça por baixo para reservar o líquido. Colocar as cerejas noutra taça para arrefecer.
Fazer pequenos furos com um palito, nos bolos, e pincelar com um pouco da calda reservada das cerejas.

Para o recheio: bater as natas frescas até ficarem volumosas, espessas e firmes, adicionar o açúcar e bater mais um pouco. Manter no frio até montar o bolo.

Para a cobertura: partir o chocolate em pedaços para uma taça. Num tacho aquecer as natas e manteiga sem ferver, e colocar em seguida sobre o chocolate. Mexer até ficar liso e homogéneo. Deixar arrefecer até ficar mais consistente para a cobertura do bolo.

Montagem do bolo: colocar uma rodela de bolo num prato de servir, espalhar parte das natas batidas e colocar metade das cerejas em calda por cima. Regar com um pouco da calda e colocar algumas raspas de chocolate. Colocar a segunda rodela de bolo e repetir o mesmo processo. Depois de colocar a terceira rodela de bolo, espalhar a cobertura de chocolate e decorar com cerejas frescas e mais raspas de chocolate.

Bom Apetite!






Gelados de Iogurte com Morango e Ruibarbo


Adoro gelados, sorvetes, sobremesas geladas. Assim que chega o calor, faço gelados caseiros, para ter à mão de refrescar. No Inverno também gosto muito de comer um geladinho, mas com menos frequência, e prefiro os sabores mais quentes como os frutos secos, chocolate, caramelo e clássicos como a baunilha. Num dia frio, uma bolinha de gelado com um fio de chocolate negro derretido, granola ou amendoins crocantes consegue arrancar sorrisos aos gulosos da casa. Já no Verão que se aproxima, nos dias bem quentes, procuramos mais os sabores frescos da fruta.

Aproveitar a fruta da época e fazer gelados, coloridos. Se possível, que sejam menos calóricos, feitos com iogurte natural e adoçantes naturais como o mel e o maple syrup. Fazer sorvetes e granitas, e sentir aquele "brain freeze" que refresca. Tão bom!
Lembro-me quando era criança, só muito tarde provei um gelado de compra. O que eu costumava fazer era sumo de fruta e congelava com pauzinhos. Adorava sumo de laranja em forma de gelado, era divertido fazer e desenformar. E mais tarde lembro-me de também congelar iogurtes e servir gelados. 




Confesso que é um vício comer gelados. Adoro. E se há dias em que apetece um gelado feito a preceito, com ovos, natas, cremoso e pecaminoso, na maioria das vezes tentamos que sejam mais saudáveis. Menos calóricos, menos açúcares refinados, usando fruta da época ou congelada, mas nem por isso menos saborosos.
Um clássico que veio para ficar é sem dúvida o gelado de banana. Ter bananas bem maduras congeladas, e em poucos minutos temos um gelado delicioso e saudável para comer. Juntem-lhes outras frutas, cacau, canela e até ao pequeno-almoço podemos comer um geladinho!
Depois temos os 'frozen yogurt' e os gelados de pauzinho como este, com camadas de iogurte natural, morangos e ruibarbo numa compota ligeira. Bem leves e frescos. 
A receita de hoje enquadra-se na Semana da Obesidade Infantil, que decorre no blog Palavras que enchem a barriga. Uma proposta de um doce mais saudável para as crianças. Apelativo nas cores, gelado fresquinho, delicioso e sem culpas.




Gelados de Iogurte com Morango e Ruibarbo

1 e 1/2 cháv de morangos cortados
1 e 1/2 cháv de ruibarbo fatiado
sumo de 1/2 limão
2 colheres (sopa) de mel
250 ml de iogurte natural
1 colher (sopa) de maple syrup


Preparação

Colocar os morangos cortados em pedaços e o ruibarbo fatiado numa panelinha e levar ao lume com o sumo de limão e o mel. Deixar ferver em lume brando, mexendo de vez em quando, durante uns 15 minutos ou até amolecer e ficar em compota ligeira. Triturar com a varinha mágica ou no liquidificador e reservar no frio até arrefecer completamente.
Misturar o iogurte com o maple e fazer camadas alternadas da mistura vermelha com a de iogurte até quase encher as forminhas. Fechar e colocar o pauzinho. 
Levar ao congelador por uma horas até solidificar. E retirar do frio uns 10-15 minutos antes de desenformar e saborear.

Nota: se não tiverem ruibarbo ou não encontrarem, podem sempre usar a mesma quantidade em mais morangos ou outra fruta a gosto. Cuidado com as folhas de ruibarbo que são tóxicas, caso o plantem em casa, e as crianças vos ajudem na preparação da receita. Para os que têm dúvidas se as crianças muito pequenas podem comer ruibarbo, devido aos oxalatos, pelas informações que li e com alguns ingleses que falei, não há qualquer problema, desde que não seja em doses exageradas e que seja cozinhado.

Bom Apetite!